domingo, 12 de fevereiro de 2012

Bengaleiro em estudo

Casa de fim de semana, os casacos e malas andam pelos sofás e estou a pensar pintar uma árvore mais ou menos estilizada em cinzento ou preto aplicando depois os suportes. Para já, fiz o contorno para nos habituarmos, mas para a semana avanço com a pintura.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Jarra diferente


Uma garrafa, que depois de vazia do seu conteúdo me inspirou, e umas flores do campo. Fiquei bastante satisfeita com o resultado.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

segunda-feira, 7 de março de 2011

As velhinhas mesas-de-cabeceira


Tornaram-se mais leves e actuais e tão depressa não vão sair daqui.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

24€ e sai um móvel novo

 
Não vou dizer que foi fácil, para além de não ter qualquer experiência, a cola de parede não aderiu da melhor forma em certos sítios à madeira o que é lógico, alguns enganos nas medições, um x-acto que cortou mais do que devia, mas no geral estou orgulhosa.
O móvel está no quarto da princesa, e se ao princípio torceu o nariz agora já gosta dele.

sábado, 23 de outubro de 2010

Papel de parede

Mais uma estreia.
Não percebo nada do assunto mas vou tentar dar um ar engraçado a um móvel utilizando papel de parede.
Já tenho o papel, a cola para o dito e mais umas ferramentas, a ver se no fim-de-semana consigo fazer qualquer coisa.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O mundo (des)conhecido da bricolage II



A cama que vai ser para a minha princesa e que estava perdida pelo sótão.
Não sabemos que foi o anterior dono, mas muito trabalhinho depois e numa cor suave, lavanda, é este o resultado.
Espero que as noites de fim-de-semana sejam maravilhosas e retemperadoras.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Aqui está a minha obra


Falta colocar os puxadores, mas tirando isso está pronto.
O plano não foi concluído, faltou a cama...digamos que para além de não a conseguir encontrar no meio do emaranhado de móveis (quando uma dia decidirem tirar tudo de casa e encafuar no mesmo espaço, façam-no de forma ordenada por forma a conseguirem encontrarem o que querem), o tempo passou rápido.
Não foi nada difícil, gostei de trabalhar com a lixadeira eléctrica, preguei dois pregos, uma ficou melhor do que a outra, porque a primeira serviu de cobaia.
Usei esmalte branco para móveis e o acabamento foi realizado com leves pinceladas de tinta efeito metal nacarado.
Não ficou mau e em vez de irem para o lixo, as velhinhas mesas-de-cabeceira vão ficar lindas no meu quarto novo pelo menos mais uns anos.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O mundo desconhecido da bricolage

É a aventura que me espera este fim-de-semana, recuperação de móveis.
O plano consiste em renovar duas mesinhas de cabeceira e uma cama, para já.
O material está comprado, desde lixas com vários tamanhos, pinceis, um rolinho todo pipi, tintas ou esmalte ou lá o que é aquilo em branco e diamante, uma lixadeira emprestada, luvas e máscara.
Se percebo alguma coisa?
Não.
Se já alguma fiz algo semelhante?
Não

Das duas uma ou fica uma bela obra de arte ou uma bela porcaria...